História das Olimpíadas: Boicotes, Conflitos, Guerras e Atentados

olimpiadas História das Olimpíadas: Boicotes, Conflitos, Guerras e Atentados.Você já parou para pensar que durante as Olimpíadas atletas do mundo todo se reunem num único país para disputarem juntos medalhas e títulos esportivos. Mas e quando os países estão em conflito ou possuem rixas políticas?! Bom, o resultado quem nos conta é a história!

.Embora a cartilha do movimento olímpico proíba propagandas políticas durante os Jogos Olímpicos, não são poucos os casos de boicotes, racismo e ataques terroristas no maior evento esportivo do mundo. O primeiro caso notável foi o do ano de 1916 em que as Olimpíadas de Berlim foram canceladas.

.Nos Jogos de 1920 a Antuérpia sediou a competição como recompensa porque havia lutado na Primeira Guerra Mundial. Em 1936 a Alemanha sediou o evento e Hitler aproveitou para fazer propaganda do Nazismo e tentar mostrar a superioridade da raça ariana, o que não deu muito certo já que ele teve que aturar a vitória arrasadora do saltador negro Jesse Owens na competição de salto a distância.

jesse owens História das Olimpíadas: Boicotes, Conflitos, Guerras e Atentados
Jesse Owens, atleta que calou a boca dos nazistas

.Em 1948 os países que formavam a aliança durante a Segunda Guerra Mundial nem sequer foram convidados a participar dos Jogos de Londres. A URSS foi convidada, mas não apareceu. Em 1956 a China se retirou da competição depois de o COI reconhecer Taiwan, ilha capitalista que eles defendem ser parte de seu território.

Na Austrália atletas protestaram contra a fundação de Israel e países como o Egito e o Líbano fram contra a invasão da Península do Sinai. Além da questão política regime racista da África do Sul foi discutido e a explosão da bomba de Hiroshima também.

.

boicote História das Olimpíadas: Boicotes, Conflitos, Guerras e Atentados
Boicote anunciado da Russia e outros países comunistas como represália pelo boicote liderado pelos Estados Unidos às Olimpíadas de Moscou.

.Outros atletas buscaram mostrar seu descontentamento com o regime de segregação racial como os corredores norte-americanos Tommie Smith e John Carlos e as equipes de países africanos que abandonaram as competições de Montreal no ano de 1976. Em Sydney no ano de 2000 a pira olímpica foi acesa por uma atleta aborígene em protesto ao racismo comum na Austrália.

Por fim não podemos nos esquecer dos Boicotes realizados pelos norte-americanos contra a União Soviética em 1980 e a resposta dos comunistas quatro anos depois. Outros boicotes foram ensaiados, mas fracassaram. Já deu para perceber que nem o esporte não é a única coisa que importa num Jogo que envolve tantas nações!