Literatura e Cultura

Livro Por mares há muito navegados: Resumo do Capítulo 21

Livro Por mares há muito navegados: Resumo do Capítulo 21

resumo-do-livro-por-mares-há-muito-navegados-alvaro-cardoso-gomesIntrodução

O livro “Por mares há muito navegados”, um releitura da famosa epopeia portuguesa “Os Lusíadas”.

Como é possível ver no resumo e na análise das personagens, o livro se passa os tempos atuais diferente da obras lusitana que tem como cenário o Classicismo literário e o período das grandes navegações.

O livro “Por mares há muito navegados”, trata do tema de forma aberta e bem explicativa, o que ajuda e muito jovens estudantes que procuram conhecer melhor “Os Lusíadas” de forma simples e divertida.

O trabalho conta ainda com a biografia do autor Álvaro Cardoso Gomes e a Escola Literária Classicismo que ajudam a entender melhor o porquê da forma como Camões escrevia e o contexto de sua aclamada obra.

Livro Por mares há muito navegados – Capítulo 21: A ilha dos Amores

Ao chegarem ao Sri Lanka, ficaram encantados, não fosse por alguns detalhes, lembraria mesmo a mitologia ilha cantada por Camões, com praias belíssimas, às verdes palmeiras, exuberantes florestas tropicais, onde se encontravam exóticas flores. A cidade estava abarrotada de turistas para assistirem ao festival, que se realizava junto a um grande parque que terminava num pequeno monte.

A noite estava belíssima, foram acessas tochas e tocaram trompas e címbalos, o sinal para o começo do desfile dos elefantes, seguido pelo povo que vinha dançando. As mulheres, que participavam do desfile eram muito graciosas, vestidas de trajes vermelhos, amarelos, azuis, trazendo pulseiras de ouro nos braços e flores na cabeça. Jovenildo e Damásio, logo foram procurar diversão no meio do festival, a procura de mulheres.

Catarina, não demorou muito e se pôs a dançar, Luís, Dedé e seu Walmyr, olhavam encantados para ela, mas de repente desapareceu seguindo uma pequena banda de címbalos e pífaros. Luís avistou o morro do outro lado do parque,  e julgando que a vista do festival seria mais bonita e mais completa lá de cima, então resolveu subir a elevação, mas antes avisou a Dedé. O morro não era muito alto, conseguindo Luís escalá-lo sem dificuldade, quando chegou ao topo, ficou maravilhado, não só com a vista, mas também com a lua e lembrou-se do último canto de Os Lusíadas, no qual a Deusa Téthys, esposa do deus Oceano, conduziu Vasco da Gama ao alto de um morro para lhe mostrar a “Máquina do Mundo”, uma esfera brilhante, perfeita, que se equilibrava no ar e que era uma espécie de preciosa miniatura do Universo. A tal cena representava o ápice do poema, o instante em que Vênus premiava o grande navegador não só com a companhia da deusa do mar, como também lhe oferecia a visão dos mistérios do Universo, sob a forma daquele belíssimo globo, onde estavam representados tudo o que existe no universo. Luís sentia-se como se também estivesse contemplando a maquina do mundo, mas triste, pois não tinha uma Téthys que o consolasse e lhe desse amor, estava imerso em seus pensamentos, quando ouviu uma voz a suas costas. Era Catarina, muito surpreso com a situação, Luís ficou mudo e ela se aproximou dele e diz que fez bem de subir ali, pois a vista era maravilhosa. Mesmo assim, Luís continuou calado, com o coração saltando pelo seu peito, ela então se colocou bem em sua frente olhando bem dentro de seus olhos, o que o deixou ainda mais sem graça. Catarina o diz que foi até ali para perdi-lhe algo especial e começou a desabafar dizendo que a viagem foi ótima e a fez muito bem, pois estava mal por causa de sua insegurança pra com seu namorado. Respirando fundo, ela diz que descobriu que ele é uma pessoa fantástica, que da pra confiar, e que nunca tinha conhecido ninguém com uma sensibilidade como a dele. E perdendo a timidez, a interrompeu, após ela ter dito se ele poderia ser seu amigo, mas um amigo diferente, e a perguntou o que estava há muito tempo lhe entalando garganta, falou a ela que como poderia ser seu amigo, sendo que a adorava, sendo que a amava mais que tudo no mundo. Catarina levantou a cabeça, sem dizer nenhuma palavra, pegou as mãos de Luís e colocou em volta de sua cintura, abraçou-o, ficou na ponta dos pés e o beijou na boca. Luís Alberto retribuiu o beijo, cheio de paixão, sentindo-se como se fosse um verdadeiro semideus, recebendo o prêmio que sempre desejou, ali ate o fresco, macio corpo de Catarina.

Veja o resumo dos capítulos dezenove e vinte do livro Por mares há muito navegados.

Escreva um comentário sobre o resumo do  capítulo vinte e um do livro Por mares há muito navegados.

Assuntos do Artigo:
  • resumo do livro por mares há muito navegados
  • por mares há muito navegados personagens

Comente Via FaceBook

Comentários

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.